quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

TRABALHO DE PACTO

Eu sou um raio
A proximidade cortante
O que rasga o instante
Um verbo em trabalho de parto,
Natural,
- Coroando -
Eu sou o rebento
E sou o rebanho
Eu me banho no sangue
E antes que o verso estanque
Eu amputo, 
Eu expulso
- o corpo maduro -
Não há instrumento cirúrgico
Não obstante,
O bisturi é meu pulso.
Só há bem
Não há mal que me queira,
E a cada arrancar de pétalas
Evoco a estética
Do amparo.
Esbaforida,
Sou parida ao avesso
Em cada verso,
Que ora atravessa-me as vértebras,
Ora recebe-me em seus braços. 
(23/08/15)

Nenhum comentário:

Postar um comentário