terça-feira, 29 de novembro de 2016

DOS CAPRICHOS DA TEMPESTADE

A linha do horizonte
Aponta
O limite e o pulsar
De cada onda.

O vazio do teu olhar
É uma afronta
Nesse náufrago é o mar
- não a sombra -

Barco a vela
Pulsa
Profundeza
Mas sem bússola
Ou estrela
Vem o vento a soprar
- não te esqueça -
(2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário