POEMA DE BOM DIA

Não...
Não desperta agora:
Deixa-me embalar
O teu desejo
Com o toque sutil
Dos meus dedos
A percorrem-te em órbitas.

Fica assim
- Bem de lado -
Que é por trás do teu corpo
Que os meus beijos te acham
- E por onde eu começo a me perder -

Costas, nuca, pescoço
Meu peito dispara,
E a respiração oscila
Tensa,
Enebriada,
- Inequívoca -
A elevar-me, plena
- Pressão sangüínea -

Me deixa decorar
Teus contornos
- Com a língua -
E lentamente,
Deixa tua alma
Reconhecer a fusão
Da tua matéria-prima
- Com a minha -

Sente o meu abraço
Avolumado e sinuoso
Sente minha boca escorrer
Em teu socorro
Ouve meu gemido
Só pra ti
Pra te libertar do sono
Por onde me prende
- Entre as pernas -
E esperas o meu gozo.

Sente o conforto
Do meu beijo
E do meu pecado:
Assiste coincidir
O teu gosto
Com os meus lábios. 
Seja-me ágil:
Arrebata
A minha ternura
Para fazer de mim
Tua metáfora
- Crua -

Decora o meu olho
Com as respostas
Que só tu podes dar,
- Em linha ágrafa -

Abre a garrafa,
Espalha o vinho,
E me junta pra ti
Em goles esbaforidos
De saudade.

Bebe de mim,
- O infinito que se debate -
Enquanto tu repousas enfim
Tudo teu em minha carne.

Comentários

MAIS