DESTINATÁRIO INEXISTENTE

Hoje eu quis escrever pra você
Talvez para dizer
Que tudo por aqui
Vai bem.
Mas você não vai:
Você fica.

No sussurro das horas
Confundidas de desprezo
No despertar de cada sonho
Que adormeço:

Você permanece...
E não há quase nada
Capaz de re-mover
O som que acorda a sala
Se tudo o que vejo
- ainda que eu não ouça -
É a sua voz
Rouca
E incendiada
De ousadias ternas
E ternuras das mais cínicas...

Teu olhar de rasgar meu peito
E engolir minha saliva
Tua boca e cada "promessa" que,
Fosse verso de fogo no mar,
Jamais se cumprira.

Hoje eu quis escrever
Só pra você
Talvez pra merecer
Não uma carta
Quiçá um "abre aspas"
- uma inspiração mansinha -

Hoje eu quis escrever
- Pra você -
Pra lua não amanhecer
Vazia.

Comentários

  1. Curti demais seus poemas, espero estar sempre acompanhando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitíssimo obrigada pela generosidade da sua leitura e a gentileza do comentário, Alexandre! Seja bem-vindo! :)

      Excluir
    2. Hahaha gostei mesmo de ler seus textos! ;)

      Excluir

Postar um comentário

MAIS