FATAL

O vazio
De tantos corpos
- Inelegíveis -
Ao acaso...

Qualquer que seja
A desventura
Eu pairo olhos
A disparar sinos de vento.

Eu busco
- A contento -
Um pouco do pão
Em divino código
Sirvo-me da sangria
Vitrificada na espera
E no desamparo.

Dos teus medos
Eu sou a deusa
Que era

Eu sou o fato.

Comentários

MAIS