SURDO MUNDO

Leio aos teus lábios
Como pudesse transvê-los.

No que dizem
Pouco me impactam
- Não são dados -
Mas dardos
A mirarem-me estragos
Em silêncio.

Reviro teus sucos gástricos
A fim de não gastar-me
- Antiácidos -
Ao ouvir cousas tolas.

Tolero-te
Mas a alto custo
Regenero-te no uso
A infligir-me tua.

A toa
Tu me acusas
Do que tu mesmo não te perdoas.

O que me dizem teus lábios
Me sussurra o oposto
A tua língua inculta.

Comentários

MAIS