GENEral

Sinto
Estar
Acima
De tudo

Não há sombra
Ou vulto...
Sou só
- Um corpo -
Fechado.

Minha fé
Agora é avulsa
- Mas absoluta -
E pulsa sem pecado.

Não hei de incorrer
No pânico do claustro...
Abafados,
Estão os meus medos
E é neles que me abro.

É esta a minha única guerrilha
- Secreta -
Entre mais verbos do que murmurios
Desencontrados nos atos do insepulto
Seja na paz, esteja em guerra
- Ser jamais será -
O ofício de poeta.

Comentários

MAIS