HOMÔNIMA*

A vida é boa
A vida é dela
E revivida
É Cinderela.

Dom divino, dom na terra
Esta, que gira infinita
Tanto traz que quem nos leva
Em cada rima fica à vista
O que dizer se é eterna?

Ela, Natalia
Cor tão fluída, flor de Hera
Quis a vida
Sempre ávida
- Não escrita -
Quais guardá-la tão bendita
A nossa linda Cinderela.

Vida boa
Vida bela
Só sei que é bem de noite
Que ela, doce, se revela
A cada insone badalada
Das doze que encerra.

Noite-dia virá hoje
Nossa viva Cinderela
Faz encanto e nos espalha
O ser no tanto que nos separa
O dom de ser
Quem sempre és
O dom você,
Nossa Natalia.

* Poema escrito em memória de Natalia Soares de Melo.

Comentários

MAIS