INDIZÍVEL DIVISÍVEL

Paixão de poeta é sempre de gosto duvidável
O sabor vai se ocupando da língua
Como o papel emerge livro
Paixão de poeta é sede de mesmo seio
A gotejar no próprio umbigo
Paixão de poeta é recesso inventivo
É um corte raso que verte sangue
- vidrado –
Vitrificado na vitrine do próprio desejo
Paixão de poeta é volume de beijo
Uns tantos decibéis a mais de serotonina
Paixão de poeta é mania
É alforria dúbia
Polissemia crua
É fé logarítimica
Paixão de poeta é vista por São Tomé
Como Oasis no Egito
Paixão de poeta é cine paradiso
Roteiro circunspecto no hábil do sujeito
Paixão de poeta é prévia apocalíptica
Se triangula piora
E o ganho é da pílula
Paixão de poeta acredita
Que há de ser amor
O verso trôpego que encontra na esquina
Paixão de poeta é sina secreta
Do que a síntese da espera
Só encontra na rima.

Paixão de poeta é nota máxima
Escrita na mesma resma de uma dízima.

Comentários

MAIS