TARDE PRA MANHÃ

Luzes acendem a distonia cíclica de minha omissão
E eu te quero
Mas te apago
Em um ou dois tocos de cigarro
Plenamente absortos e mastigados
No que trago
- Não no que estrago -
Pelo chão.

Vem, me olha reunida
em partículas simples e à toa
O que me molha não é a garoa
Mas a lua, respingada de sereno
E eu, aturdida
Confundo a fome que cala na lira
Com o gosto sustenido que move o medo.

Eu cedo
Ainda
Cedo.

Comentários

MAIS