QUINTO ELEMENTO

Elementar, meu caro ócio...

Assim oca de fluir a ti recorro

Como se o inóspito silenciar me fosse outro

E o que de ti virá, em vão tão óbvio.



Elementar, meu caro ócio,

Tuas vias de acesso encontram-se escritas

Mas não pareces rondá-las no entanto

E de indiferença ressoam esquecidas

E de esquecer é que anulam-se no ponto.



Elementar, meu caro ócio,

Não peço que pragueje sequer de fome esse meu tempo

Mas se aqui há o que almeje em um só momento

Há que evocar mais de uma vez esse tal nome!



Elementar, meu caro ócio...

Ou é ofício o que virá enquanto some

A sós no quarto, eu ouço o quinto

Elemento tácito,

Meu dito HOMEM!

Comentários

MAIS