POEMA PLANADOR

Não canso de ver do alto
O ver_de que escapa por entre mãos ingratas
de neblina.

Não canso de ver do alto
A curva bárbara que se desfaz na rima!

Comentários

Postar um comentário

MAIS