SUJEITO OCULTO

Lá onde sai o sol
Saliva um súbito assalariado
Da dívida máxima da alma pequena.

Lá onde sai o sol
Saía o lume feito farol
No farfalhar das açucenas!

A sucessão é que rege o trauma
E equidistante não range o trema!

Lá onde sai o sol é monte
E há de sair Móises, o monge,
Por de trás deste poema!

Comentários

MAIS