quinta-feira, 30 de julho de 2009

POEMA ILUMINISTA

Não hei dizer do credo
Cruzes!
Eu, ao invés de abrandar ao clero
Divago no vulgo do verbo
E ergo-o sacro ao vão das luzes!

Não hei dizer do credo
Claro!
Se não me ouves!

Ouses dizer do que falo
E então far-se-ão em verso
As cores!

Não hei de dizer do cado
Enquanto não fores de fato iluminado
Na dúvida de teus outros amores!

9 comentários:

  1. olha nao entendi muitoo bemm mas eu vo usar para um trabalho da minha escola

    ResponderExcluir
  2. Parece mesmo revelador e provocativo como foram e são os iluministas! Parabéns, gostei, amigo! Se quiser dê uma passada no meu site:(http://reinodalira.wordpress.com) Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  3. achei realmente impressionante,parabens!!!

    ResponderExcluir
  4. achei muito interessante, mas talvez deva explicar o que quer dizer com esse poema, pois nao e facil entende-lo...

    obrigada ;)

    ResponderExcluir
  5. nao entendi muito bem, mais vou usar

    ResponderExcluir
  6. aprecio poemas e vc é boa poeta, julgando o que vc escreve, parabéns! acredito eu que o reconhecimento dos outros vem do bom trabalho que fazemos, e vc tem o meu

    ResponderExcluir
  7. Então...é de sua autoria???

    ResponderExcluir
  8. Sim, caro Anônimo, como os demais publicados neste espaço. :)

    ResponderExcluir
  9. webson rock and roll17 de abril de 2013 17:07

    meus parabens por este poema vai me render uma musica e 05pts de trabalho.a aliais seu poema e swow

    ResponderExcluir