POEMA ILUMINISTA

Não hei dizer do credo
Cruzes!
Eu, ao invés de abrandar ao clero
Divago no vulgo do verbo
E ergo-o sacro ao vão das luzes!

Não hei dizer do credo
Claro!
Se não me ouves!

Ouses dizer do que falo
E então far-se-ão em verso
As cores!

Não hei de dizer do cado
Enquanto não fores de fato iluminado
Na dúvida de teus outros amores!

Comentários

  1. olha nao entendi muitoo bemm mas eu vo usar para um trabalho da minha escola

    ResponderExcluir
  2. Parece mesmo revelador e provocativo como foram e são os iluministas! Parabéns, gostei, amigo! Se quiser dê uma passada no meu site:(http://reinodalira.wordpress.com) Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  3. achei realmente impressionante,parabens!!!

    ResponderExcluir
  4. achei muito interessante, mas talvez deva explicar o que quer dizer com esse poema, pois nao e facil entende-lo...

    obrigada ;)

    ResponderExcluir
  5. nao entendi muito bem, mais vou usar

    ResponderExcluir
  6. aprecio poemas e vc é boa poeta, julgando o que vc escreve, parabéns! acredito eu que o reconhecimento dos outros vem do bom trabalho que fazemos, e vc tem o meu

    ResponderExcluir
  7. Então...é de sua autoria???

    ResponderExcluir
  8. Sim, caro Anônimo, como os demais publicados neste espaço. :)

    ResponderExcluir
  9. webson rock and roll17 de abril de 2013 17:07

    meus parabens por este poema vai me render uma musica e 05pts de trabalho.a aliais seu poema e swow

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS