segunda-feira, 29 de junho de 2009

ATALHO

quebrantes
não sei se era o marquês
ou o abrantes
a abrandar em leis
não horizontes.

em mais quebrantes...
abarrotados são às seis
ao escapulir em vão xadrez
não aos xavantes!

índios... terra-índio-pedra clara!
e ao fim da passarela
a relva me desce
e é por ela que me aguarda...
que bom cheguei inda cá nela
que bom que da janela
o que eu vejo é a Barra.

POEMA DE BLOCO

Um bloco é pouco
No deglutir incorro
A degustar o gozo
ante o final.

Um bloco em branco
Tempo de nada é pouco
Poema do beco é banco
E eu do poeta,
Sou só um jogral.

JOGO DOS ERROS

cai o tango raivoso
a dor esvai caindo
recém-descoberto menestrel!

ao que vos jorra bem jovem
hei de parir o verso exposto
e hei de matar posto que é gosto!

suplícios são reais
ainda quem em bom jasmin!

com uma brisa no casulo de lusa
é perdiz a menina
tem a selva suave
e nos pés GARRINCHA.

vil perto, viu?
a avaria era mecânica
a nau tá exposta
e o chão tá mais perto...

e o xote a luz a ruir novas águas
se asa branca fosse partir
abria as asas.

(para errar com efeito e cometer os certos erros, consultemos: Dicionário Cravo Albin de MPB)

TENTATIVA-e-ERRO

A música golpeia o ritmo
Expõe-me estupefacta
Co-produz em meu ventre a espada...

Só sei que de viver
É música que me arrebata.

HIATO CRIATIVO

Aparelho
Aparato
Apartado
é seu botelho
enquanto dorme João
seu bedelho é ser do outro
O atrapalho!

Se conselho fosse bom
Se era honrado

Se o rato fosse Dom
Roer seria então
Um hiato.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

POEMA MÚLTIPLO

Penso uns 35 anos
Vivo mais um a desdobrar 36...

Tímida é a tez revalidada da vida
Que o que há de ter de valida
Hei de realizar em outras três!

ORLA

Ottorino
Laringo
Logista

A lógica maniqueísta que parasita tua sina
Pode ser a minha escrita
A minha língua
Ou a tua pista
A desnortear no Rio...
E eu "new"...
Hasta la vista!

domingo, 14 de junho de 2009

ATEMPORAL

(Insone o som que te consome ganha asas e te ouve.

Insone o que se cria é mais do homem

E a fome agoniza no vasto vão do hoje

Porque insone

Ainda era ontem.)