RÉSTIA

O vago governa o vernáculo do carma
- Morena –
O vago verbaliza ter dado
Em vasto verbete e velado
O lábaro joguete e o dardo
O vago que esconde o escravo
É o vago que agora gangrena!

O vago agoniza-se alado
O vago envaidece o estrago
O vago depõe dor pequena
O vago vagou o vazado
O vago versou um vassalo
Respaldo...
Restou o poema!

Comentários

MAIS