REGISTRO DE PASSAGEM - uma exceção dirigida

Faz bem mais de um ano e ainda lembro de te ver parado,
Olhar perdido naquela imensidão de possibilidades,
Umas poucas malas e tanta coragem nas costas.

Ademais daquela porta,
Não me recordo das despedidas.
Talvez do nosso primeiro abraço de Déjà vu
Ou ainda de teu tom irritado de quando falávamos sobre tuas frustrações e ausências múltiplas
Do ressoar da angústia de tuas idas em mais estações de reticência...

Pois é...
Vagaram até descarrilhar as tuas premissas de ordem,
De suspensão inusitada de direitos,
Estas mesmas que inspiram meu deleite conceitual sobre nosso amor paradoxal e esteticamente imperfeito.
É sim,
Foi sim,
Amor.
Ainda que sendo assim
Do que sem tal direito.

Comentários

  1. Malas e coragens nas costas,
    Suspensão inusitada de direitos.... Interessante a idéia. Nem pontos finais, nem reticências. Apenas vírgulas. Antonio Ricardo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS