A POÉTICA E O TEMPO DO INTRANSFERÍVEL

Ainda que eu tenha a noção do quanto o tempo é de fato irrevogável
Encontro-me comigo em intervalos intermináveis
No silêncio absoluto do que resto sempre.

A contradição é o ser...
Atemporal, me forjo de princípio a arrefecer a dura queda do que cala... E passa.
Perecível, pareço germinar a cólera dos que sobrevivem
E vou de_compondo-me...
Dando-me ao arroubo do que emerge letra.

Se fico ou se hei de ficar é porque livre,
- Matéria sóbria -
Apanho o pulsar do que estanca,
Do que louca, sou capaz de parar com os olhos,
Firmar no punho e acontecer nova e vívida de novo
Não na minha,
Mas na toda mesma poesia do hoje,
Sempre.

Comentários

MAIS