POEMA-ÂNCORA

É tanto poeta que breca a proa da beira
Que acaso o pé de acrobata se afunde na barca aquém da trincheira,
Não há certeza a salvo que não naufrague no ato de pisar na areia.

Comentários

MAIS