CÁLICE - como jamais diria Chico

As palavras entre nós ocupam lugares desnecessários, roubam gestos, os precipitam.
Palavras entre nós são como foices a serviço do inquirir da alma,
A enunciação da angústia que poderia ser abstraída.
Palavras entre nós verbalizam nossos sonhos imaginados em teor desconstruído,
Abortam possibilidades de ganho, de tamanho, de futuro.
Palavras entre nós são divisões silábicas de afeto, são elucubrações do espontâneo,
São desconfigurações do simbólico trazido cru em torno de um real frustrado.

Palavras estão entre nós.

Mas nós estamos entre elas e o silêncio de uma nova possibilidade...
A de relevar e seguir adiante antes do ato,
Antes desse ato impiedoso de palavra!


"... Mais um gole, que com gás, as entrelinhas podem borbulhar a vontade!"

Comentários

  1. Neste momento as palavras entre nós são necessárias para mostrar que suas palavras me fazem bem a alma, e também me acalmam.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

MAIS